02 novembro 2014

Persuasão ou vencer pelo cansaço!

Hoje deixei-me render e levei-os a almoçar ao Mac. Nem sempre nem nunca! Ok ok. Mentir é feio e hoje até fui à missa. Pronto, não me apeteceu cozinhar!

Depois fomos às compras que durante a semana com tanta correria alguma coisa fica para trás.

Lembrete muito muito importante!
Daqui até finais de Janeiro fica expressamente proibido levar o miúdo ao supermercado!
Mais de meia hora para atravessar 3 corredores de bonecada!
Comecei por dizer, e começo logo por afirmar para não haver dúvida das intenções, "vamos levar um pacote novo de plasticinas que as tuas parece que já estão podres!"
Note-se que me refiro à cor das mesmas e não ao cheiro. É que de tanto amassar, esticar, colar e construir bonecos a cor é muito uniforme. Assim para um cinzento suspeito....
Agora a parte difícil!
Explicar que os brinquedos são caros. Que o natal está a chegar. Que tem tantos brinquedos que quase dava para abrir uma loja. (ok exagero meu! Mas sendo o terceiro é normal que a variedade seja maior!)
Acreditem não foi fácil e era tudo caríssimo! Desde perto dos 60 euros até aos 20 e tal (dos que ele queria).

Não estava nada fácil uma solução pacífica e era mais fácil um não e ponto final! Mas eu não sou assim.
Não acredito em vencer pela força (no que toca aos meus filhos!)
Já estava perto do meu limite quando ele me diz : "E a espada de luz? Pode ser a espada de luz mãe? "

Para cúmulo nem preço tinha. Agarrei na espada e dirigi-me ao leitor de códigos de barras. 7,50€ marcou o leitor.
" Pode! " - respondi eu já farta de brinquedos.

O resto até correu bem. Tirando um ou outro "Podemos ir pagar agora? "

Chegados a casa, a espada teve direito a 10 minutos de brincadeira, já a caixa das 12 plasticinas.... Vai em 2 horas!

Tenho ou não capacidade de antever o fim dos brinquedos?!

27 outubro 2014

Não podemos desistir...

Hoje a caminho da catequese tivemos mais uma conversa profunda.
Apesar dos seus apenas 7 anos, o L. é o mais sensíveis e intuitivo dos 3.
"Sabes mãe, não podemos desistir! " - disse-me ele.
" Pois não amor, a vida não tem marcha a trás. " - respondi eu.
" Pois. " - devolveu - me ele a expressão, e o silêncio intala-se por uns segundos.
Como qualquer criança de 7 anos, silêncio não é o seu forte. E até a missa foi passada com chamadas de atenção constantes e explicações sobre o que se estava a passar.
Foi o primeiro dia de catequese. O L. descobriu os escuteiros e não se pode desistir do que se quer.
O balanço foi muito positivo. Já faz o sinal da Cruz acompanhado das respectivas palavras e já sabe 3 frases do Ave Maria!
Não podemos desistir amor!
Foi o que me ensinaste mal nasceste...

11 outubro 2014

Em contagem...

Esta é a terceira.
Sei que é apenas uma de muitas as que vou contar, mas espero que apenas as primeiras custem tanto.
É terrível a forma como nos sentimos sós mesmo estando acompanhados.

Não é que esteja verdadeiramente só, mas penso que é diferente, não é a companhia que queria. 

Foram já tantos os momentos em que estando acompanhada me senti só.
Apercebi-me mais tarde, felizmente muito a tempo, que estar acompanhada e ter companhia não é de todo a mesma coisa! 

Para falar verdade estive mais vezes acompanhada do que tive companhia. Companhia exige cumplicidade. E cumplicidade só algumas pessoas conseguem. 

Não é toda a gente que entende os meus silêncios. 

Que atura o meu sarcasmo. 

A minha ironia. 

As minhas frases de duplo sentido. 

As minhas contradições. 

Os meus silêncios que gritam silenciosamente. 

Eu sei. 

Não sou fácil. 

Sou cheia de "ques" e "ses" e "talvez" e " nãos" que querem dizer "sins" e vice versa. 

Só alguém como eu, com uma alma gémea à minha, me poderia entender assim. 

Sabes que toda a vida te procurei? 

Por onde andaste? 

Porque demoraste tanto para aparecer? Fizeste - me andar errante por aí... 

Desejando encontrar-te a cada nova esquina. Sabes a ironia da situação? 

Encontrei - te quando desisti de te preocupar! A vida tem coisas engraçadas... 

Um dia acordo. Olho o espelho e decido que basta! 

Não existes e nunca te vou encontrar! 

À noite um texto sobre viagens e a forma como levamos a vida, trás - te para a minha vida.... 

Nunca entendi muito bem a vida... 

Dá e tira sem aviso. 

Sem aparente razão. 

Sabes que não escrevo quando estás?! 

É engraçado. 

És a minha musa inspiradora na ausência. Quando estás o tempo passa tão rápido que acho que nem o próprio tempo dá conta do tempo passar. 

Quando não estás dou por mim a contar horas sem fim.... 

Hoje queria que o tempo passasse rapidamente. 

Aliás, quero sempre quando não estás. 

Mas hoje não estás, não porque não queiras, não estás porque temos planos. É tão bom ter planos. E são tão lindos os nossos planos! 

Quem me dera houvesse um meio mais rápido de os realizar... 


Sabes que apenas vais passar os olhos nestas linhas sem te demorares? 

Não tem mal. Não escrevo para ti. 

Escrevo por mim. É a minha maneira de estar contigo na ausência. 

Como pode isto ser um mundo justo? 

Ah pois. Não é! 

Não é justo de tantas e variadas formas... 

Mas hoje não me vou lamentar. Hoje não! Talvez amanhã. Talvez... Mas hoje não. 

Hoje quero recordar o bom. 

A côr dos teus olhos, o toque da tua mão, o cheiro da tua pele. 

Hoje quero recordar-te como te conheci. 

Quantas e quantas vezes criamos expectativas acerca de algo ou alguém para nos desiludirmos. 

Já te disse que superaste as expectativas que tinha quanto a ti? 

Surpreendeste-me muito. 

Eu sabia que tinhas de ser diferente, mas tão diferente? 

Surpreendeste-me mesmo! 

Voltei não foi? 

Isso é sempre bom sinal. 

Eu sei sou estranha. 

Vivo de recordações. Mas não são apenas recordações. São boas recordações. 

Coisas que não quero por nada esquecer. Sabes tenho medo. Sim esse também. Mas agora é outro. 

Medo de esquecer. 

Sei que provavelmente um dia vai acontecer, mas tenho esperança que as boas recordações fiquem por mais tempo se me mantiver agarrada a elas. 

Por isso gosto tanto de as reviver. 

De falar sobre elas. De as contar. 

Gosto de estórias de "e viveram felizes para sempre!". 

Sempre sonhei com o meu final feliz, a verdade é que nunca o consegui completar. Parece que sempre que inicio essa cruzada ela se mostra infrutífera. 

Mas eu continuo a acreditar! 

Não é demais pedir para ser feliz! 

Aliás é a razão da nossa existência. Senão que andamos aqui a fazer?! 

Tanta volta para chegar a lado nenhum. 

Mas eu sou assim. Preciso de falar. 

E preciso de ti. Bem não é bem precisar. É mais precisar! 

Bem é precisar mesmo! 

Preciso de ti. Não por aquilo que és, mas por quem eu sou quando estou contigo. Gosto de mim assim! 

Sou estranha, eu sei. 

Mas sou eu mesma. 

Verdadeira. 

Sem fingimentos. 

Sem máscaras. 

Sem subterfúgios. 

Só eu!

Acabo, por hoje, com um texto teu bem conhecido.
Hoje sinto-me bem :)

‎" O que se leva da vida é... 

A vida que se leva. 


Desta vida nada se leva...
A não ser a vida que se leva ...
Só se deixa...
Então, te deixo o meu melhor...

Meu melhor sorriso,
Meu maior abraço,
Minha melhor história,
Minha melhor intenção,
Toda minha compreensão.

E do meu amor, a maior porção.
Só quero ficar na memória de alguém como outro alguém que era do bem!"

Antonie de Saint-Exupéry

Em contagem, já vamos no nono....

01 julho 2014

Sem ti...

Não quero chorar mas não consigo evitar as lágrimas a caírem cara abaixo. Não quero estar triste mas não consigo evitar sentir - me assim. Não quero sentir - me só mas nem o gato deitado em cima das minhas pernas me conforta a ausência. Não quero pensar mas é inevitável fazê - lo. Não sei estar sem sorrir. Sem me rir. Sem companhia. Não sei estar sem ti!

28 junho 2014

Eu Simplesmente Amo-te

Eu amo-te sem saber como, ou quando, ou a partir de onde. Eu simplesmente amo-te, sem problemas ou orgulho: eu amo-te desta maneira porque não conheço qualquer outra forma de amar sem ser esta, onde não existe eu ou tu, tão intimamente que a tua mão sobre o meu peito é a minha mão, tão intimamente que quando adormeço os teus olhos fecham-se. 
Pablo Neruda, in "Cem Sonetos de Amor"

05 abril 2014

09:22 - cheguei

Cá estou eu novamente como (quase!) todos os dias, na estação da CP à espera do comboio.
Dirijo - me à plataforma, abro a carteira e tiro o telemóvel, o auricular e ligo a música.
Gosto da dista pré-definida e começa quase sempre por Michael Bublé.
A minha preferida, "Lost".
Afinal é preciso começar bem o dia! Coloco um dos auricular e deixo o outro ouvido livre não vá a sra dizer que o comboio foi suprimido.

Nisto surge a sra a falar. "O comboio regional, CP regional, procedente de Entroncamento e com destino a Coimbra, com chegada marcada às 09 horas e 22 minutos, circula com um atraso de 6 minutos. Pedimos desculpas pelos incómodos causados ."
Que simpatia, penso eu, pediu desculpas pelo incomodo...

Nisto, estava eu a pensar na simpatia da sra, viro-me na direcção em que o comboio iria chegar daí por aproximadamente 5 minutos e que vejo?! Pois... O comboio!
E pensei de mim para mim, ainda bem que o comboio vem atrasado 6 minutos. Se viesse a "horas" tinha-o perdido!
O comboio pára, eu entro sento-me à janela e enquanto o Michael Bublé canta, agora "me and mrs Jones", eu ainda vou a pensar na sra que anuncia as chegadas, os atrasos e os suprimentos...

Mas como raio o comboio das 09:22 procedente do Entroncamento e com destino a Coimbra pode estar 6 minutos atrasado às, 09:23?!

O Michael acabou e começa Norah Jones "Thinking about you" :)

18 fevereiro 2014

Partidas e chegadas!

Quantas vezes já partiste?
E quantas já chegaste?
Sabes a dor que dá ver - te partir?
Sabes quanto custa ver - te chegar?
Quantas vezes já partiste?
E quantas já chegaste?
A tua partida leva algo de mim. Umas vezes a vontade de sorrir. Outras a vontade de seguir. Vezes houve que levou a vontade de fazer.
A tua chegada trás o sol. O meu sol! Aquele que é só meu e que tu levas quando partes.
Trás a primavera, os passarinhos a cantar. Trás - me a vontade de cozinhar. De fazer coisas contigo.
No livro do pequeno príncipe, a parte do principezinho e da raposa é a minha preferida do livro por essa mesma razão.
Também a minha vida é feita de partidas e chegadas. E se me cativares e vieres sempre à mesma hora, uma hora antes eu já me sinto feliz.
Ele julgava - se feliz por ter uma rosa única no mundo até ver um campo cheio de rosas iguais à sua e aí percebeu que felicidade não vem de ter coisas únicas mas de ter cativado a única coisa que nos cativa. A que para nós é única no mundo.
Tudo na vida são partidas e chegadas. Mas umas custam mais que outras.
Quando fico a ver - te partir anseio pelo momento em que te verei chegar.
No momento em que te vejo chegar começo a antever a tua partida. Sei que parece um contra senso.
Na verdade sei que o é.
Sei que um dia isto vai terminar.
E nesse dia não partirás mais...
Mas até que esse dia chegue... Até lá, continuarei a sofrer com todas as partidas e a ansiar todas as chegadas!

06 fevereiro 2014

Eu adoro ler

.

Apesar disso não consigo definir o meu gosto literário. Assim como não defino o gosto musical ou outros...
Gosto de vários géneros de escrita, de música, de roupa...

Tão depressa leio romances como com o mesmo apetite leio policiais. Livros de suspense ou prosa.
Como ouço rock, balada, fado ou música clássica.
Num dia visto calças de ganga e no seguinte um vestido de ocasião. Ou um fato estilo reunião executiva. Ou um fato de treino. E quantos dias não há em que o que apetece é o pijama!

Diz o Jack que dificilmente teria melhor conjugação. Já não bastava ser mulher ainda por cima balança. :) eu não vejo mal nenhum nessa combinação.
Aliás eu adoro ser mulher e nem por um minuto me imagino a ser homem.

Por vezes reclamo "na próxima vida quero ser homem para não ter tanto que fazer" mas logo de seguida lembro-me que as tarefas não são só minhas e nessa altura nem ele quer ser homem :-D

Quanto à balança também já estou familiarizada com ela e eu gosto de ser como sou. Apesar de que por vezes devia ser menos eu.

Apesar do que dizem as balanças têm capacidade de decisão. Gostam é de ponderar as hipóteses o que tira a calma a alguns. Mas afinal uma decisão é uma decisão! Não é para ser alterada do "pé para a mão".

E por mais que pensem o contrário, eu sei o que quero.... Bem, pelo menos sei perfeitamente o que não quero!!
Já não é mau.
Certo?!