07 julho 2017

Relacionamentos fracassados constroem mulheres poderosas!



"Está aí uma questão interessante de se observar: você conhece alguém, se relaciona (acha até que está apaixonada), se entrega e na medida do possível até se esforça para que aquele relacionamento dure mais que uma bendita semana. Às vezes até que dura! Seis meses, um ano, dois… Uma vida!

Mas então, você chega a conclusão, depois de muito persistir que aquilo ali não dá mais, nada existe além do seu esforço hercúleo em fazer viver algo que já morreu faz tempo.

Pé na bunda, você na dele ou ele na sua e algumas semanas, meses, de sofrimento, panelas de brigadeiro e noites e mais noites sem dormir. As olheiras crescem, seu cabelo perde o brilho e o pijama passa a ser sua melhor roupa.

Mulheres são assim diante da mudança, do fim de algo em que apostaram e quiseram muito que desse certo. A gente sofre mesmo, despenteia, esperneia e chora. Chora muito. E, por muitas vezes, ainda nos pegamos pensando no que teríamos errado já que tentamos de todas as formas fazer com que aquele relacionamento fosse incrível!

Mas daí você não consegue, o outro não colabora e tudo fica um caos. Você vira um lixo, passa dias sentada à beira do abismo atacando um pote de sorvete. Estou mentindo?

Só que, graças a nossa força interior de ser mulher, renascemos tal qual Fênix das cinzas arrancando a carcaça velha com as próprias garras implorando por um novo horizonte, por um novo nascer de sol. Nos tornamos enfim, PODEROSAS!

Muitos criticam mulheres impactantes, determinadas e destemidas. Mal sabem essas pessoas que as mulheres marcantes de hoje são exatamente aquelas dóceis do passado que foram feridas, humilhadas e massacradas quando tudo que mais queriam era um amor, uma vida perfeita, sorrisos compartilhados.

Hoje, somos nós que fazemos as regras, nós que escolhemos, nós que dizemos “Não dá mais” “pra mim chega!” e nós que ocupamos cadeiras de salões de beleza buscando cuidar do que temos, nós que ocupamos cadeiras de teatro, cinema absorvendo cultura e nós que ocupamos cadeiras na política, nas empresas, na vida. Não passamos mais desapercebidas e, mesmo que choremos ainda nas madrugadas, no dia seguinte, renascemos tão mais belas quanto no dia anterior.

Nossos agradecimentos? Ah, esses vão para todos aqueles que nos fizeram sofrer, que nos rejeitaram ou negaram nosso amor. Um salve a essas pessoas, pois graças a elas, nos tornamos poderosas!"

Desconheço a autoria de texto. Até poderia ter pesquisado. Mas não o fiz. Para mim essa não é a parte importante.
Saber quem o escreveu, não é importante. O importante é a mensagem. Pelo menos, a mensagem que eu retirei.

Todos nós, mudamos.
Crescemos, endurecemos ou amolecemos ou retrocedemos no nosso crescimento, durante ou após o término de uma relação.
É inevitável!
Quer seja homem ou mulher, e apesar de na maior parte dos casos se dizer que não é nada, que não se passa nada, isso não é verdade. Não corresponde à verdade e todos nós sabemos.
Nós, humanos, não somos um muro inquebrável. Imutável.
E todos os que por nós passam levam um pouco de nós, mas também deixam. Por vezes mais do que o desejável ou suportável no momento.
A questão é que tudo passa. E aquilo que na altura parece que vai durar toda a eternidade, passa.
O tempo cura tudo, resolve quase tudo. Mas não muda o que passou. E isso é bom.
Uma vez disseram-me a melhor definição de experiência que eu já tinha ouvido.

"Experiência, é um dado adquirido momentos depois de se precisar dele."

E é graças à experiência, dado que a maioria de nós não conhece aprender com os "erros" dos outros, que não cometemos os mesmos erros vezes e vezes sem conta.

Os tempos mudaram. Os homens, e principalmente as mulheres de hoje, não são as mesmas de há anos atrás.
Não acreditam no mesmo de outrora e felizmente não se contentam com a "sorte que lhes calha".

Como uma vez me disse um colega de trabalho (homem)... "se as mulheres soubessem o poder que têm, governavam o mundo!".

Quem sabe não seria um mundo melhor....
Quem sabe um dia...

01 julho 2017

Esclarecimento!

Às pessoas que visitam este blogue (poucas!!), fica o esclarecimento....
Todas as publicações de autores citados, e todas sem excepção, apenas significam que gostei do texto publicado.
Nenhum dos textos que não sou eu que escrevo, significa algo ou alguma coisa da minha vida ou das minhas relações interpessoais.

30 junho 2017

Saudades



Sinto saudades de tudo que marcou a minha vida.
Quando vejo retratos, quando sinto cheiros,
quando escuto uma voz, quando me lembro do passado, eu sinto saudades...
Sinto saudades de amigos que nunca mais vi, de pessoas com quem não mais falei ou cruzei...
Sinto saudades da minha infância,
do meu primeiro amor, do meu segundo, do terceiro, do penúltimo e daqueles que ainda vou ter, se Deus quiser...
Sinto saudades do presente,
que não aproveitei de todo,
lembrando do passado
e apostando no futuro...
Sinto saudades do futuro,
que se idealizado,
provavelmente não será do jeito que eu penso que vai ser...
Sinto saudades de quem me deixou e de quem eu deixei!
De quem disse que viria
e nem apareceu;
de quem apareceu correndo,
sem me conhecer direito,
de quem nunca vou ter a oportunidade de conhecer.
Sinto saudades dos que se foram e de quem não me despedi direito!
Daqueles que não tiveram
como me dizer adeus;
de gente que passou na calçada contrária da minha vida
e que só enxerguei de vislumbre!
Sinto saudades de coisas que tive
e de outras que não tive
mas quis muito ter!
Sinto saudades das coisas que vivi
e das que deixei passar,
sem curtir na totalidade.
Quantas vezes tenho vontade de encontrar não sei o que...
não sei onde...
para resgatar alguma coisa que nem sei o que é e nem onde perdi...

Clarice Lispector

18 fevereiro 2017

Amar é...



Amar é...
sorrir por nada e ficar triste sem motivos
sentir-se só no meio da multidão
o ciúme sem sentido
o desejo de um carinho
abraçar com certeza e beijar com vontade
passear com a felicidade
é ser feliz de verdade!

Albert Camus

14 fevereiro 2017

Dia de São Valentim ou um rebanho de cabras




Acordas de manhã e é dia de São Valentim.
Tens que te levantar e recomeçar a rotina da terça feira. Que é igual de segunda a sexta...
Mas hoje é terça. E é dia de São Valentim.
Há alguém com quem queres estar. Com quem deverias estar. Mas... Está longe. Não muito. O suficiente para que não possa estar junto.
A distância é tramada . Quanto mais longe estás mais diminui a ansiedade de ter. De ver.
Mas hoje é dia de São Valentim. E há alguém com quem devias estar.
Se a vida (lá vem ela novamente) fosse justa era lá que estarias.
São horas de sair da cama e ir com os cães à rua.... Tarefa que há muito se tornou um fardo. Algo que fazia com o maior gosto e vontade virou um tormento.
Enfim....
Saio da cama e recordo o nosso recente passeio ao Gerês. As quedas de água... E o rebanho de cabras!

29 janeiro 2017

Ela....




Ela é independente, quase sempre.
É vaidosa, mas nem sempre.
Ela é doce, com quem merece.
E é corajosa, de um tanto que te deixaria surpreso.
Ela é assim, mas costumava ser diferente.
Amanhã irá mudar, muito provavelmente.
Um e sessenta e tantos mistérios que você jamais vai decifrar.
Ela tem a mania de se assustar por motivos tolos e de demonstrar força quando o mundo ameaça desabar.
Ela tinha tudo pra ser triste, mas prefere viver sorrindo, e não é um sorriso qualquer.
As lágrimas, que costumavam ser frequentes, hoje parecem não ter mais a autorização para desabar.
E por falar em desabar, ela já perdeu o chão tantas vezes, que acabou aprendendo a flutuar.
Perdeu o teto e ganhou as estrelas.
Perdeu o medo e se apaixonou por si mesma.
Mas quem é que consegue não se encantar?
Tirar sua paz não é tarefa fácil....

Autor desconhecido

21 janeiro 2017


É tão difícil falar de amor quando se continua a amar e não se pode falar....