18 fevereiro 2017

Amar é...



Amar é...
sorrir por nada e ficar triste sem motivos
sentir-se só no meio da multidão
o ciúme sem sentido
o desejo de um carinho
abraçar com certeza e beijar com vontade
passear com a felicidade
é ser feliz de verdade!

Albert Camus

14 fevereiro 2017

Dia de São Valentim ou um rebanho de cabras




Acordas de manhã e é dia de São Valentim.
Tens que te levantar e recomeçar a rotina da terça feira. Que é igual de segunda a sexta...
Mas hoje é terça. E é dia de São Valentim.
Há alguém com quem queres estar. Com quem deverias estar. Mas... Está longe. Não muito. O suficiente para que não possa estar junto.
A distância é tramada . Quanto mais longe estás mais diminui a ansiedade de ter. De ver.
Mas hoje é dia de São Valentim. E há alguém com quem devias estar.
Se a vida (lá vem ela novamente) fosse justa era lá que estarias.
São horas de sair da cama e ir com os cães à rua.... Tarefa que há muito se tornou um fardo. Algo que fazia com o maior gosto e vontade virou um tormento.
Enfim....
Saio da cama e recordo o nosso recente passeio ao Gerês. As quedas de água... E o rebanho de cabras!

29 janeiro 2017

Ela....




Ela é independente, quase sempre.
É vaidosa, mas nem sempre.
Ela é doce, com quem merece.
E é corajosa, de um tanto que te deixaria surpreso.
Ela é assim, mas costumava ser diferente.
Amanhã irá mudar, muito provavelmente.
Um e sessenta e tantos mistérios que você jamais vai decifrar.
Ela tem a mania de se assustar por motivos tolos e de demonstrar força quando o mundo ameaça desabar.
Ela tinha tudo pra ser triste, mas prefere viver sorrindo, e não é um sorriso qualquer.
As lágrimas, que costumavam ser frequentes, hoje parecem não ter mais a autorização para desabar.
E por falar em desabar, ela já perdeu o chão tantas vezes, que acabou aprendendo a flutuar.
Perdeu o teto e ganhou as estrelas.
Perdeu o medo e se apaixonou por si mesma.
Mas quem é que consegue não se encantar?
Tirar sua paz não é tarefa fácil....

Autor desconhecido

21 janeiro 2017


É tão difícil falar de amor quando se continua a amar e não se pode falar....

19 janeiro 2017

Momentos...




Existem momentos, pessoas e palavras que nos marcam.
Como o trocar de um beijo. 
Como sonhos que nos completam.
Como os medos que sentimos.... 

Simples palavras que expressam um sentimento. 
Pequenos momentos que nos mudam e nos tornam felizes...

Tu e só tu os consegues fazer existir.
Espero por ti... 
Talvez para sempre...
Por toda uma vida, neste sentimento que apenas sabe crescer... 

Adoro-te em cada palavra que te digo. 
Em cada segundo que me faz querer-te e em cada momento de prazer. 

E se tudo tiver que acontecer... que aconteça mesmo. 
Que dure para todo o sempre. 
Que seja mais forte que esta saudade que por ti sinto!...

Autor desconhecido 

17 janeiro 2017

Coragem... Ou a falta dela!



Encontrei este texto na net....
Falta a coragem...
Sim eu sei,  e sempre soube, que os assuntos devem ser esclarecidos para ficarem resolvidos.
Primeiro não consegui. Depois o orgulho falou mais alto. Agora não tenho coragem.
Não me sinto com coragem de entrar onde sei já não ser bem vinda....
Fica o texto.
Talvez um dia a coragem surja.
Seja como for.... Tarde já é!!





ASSUNTOS MAL RESOLVIDOS DURAM PARA SEMPRE…


Outro dia me peguei pensando em uma situação que ocorreu em minha vida e que nunca (até então) teve um fim.

Uma sensação, tipo, comecei a ler um livro incrível e de repente ele é tirado de mim sem que eu leia o desfecho, sem que eu conheça o final.

Resultado: quase 15 anos depois e ainda me lembro do fato. Sim, eu ainda me lembro como se fosse ontem e mesmo que eu tenha refeito minha vida, tenha conhecido outras coisas, lugares e pessoas eu ainda lembro. Por que eu lembro?

Lembro porque assuntos que não são resolvidos ficam pra sempre guardados em nosso coração e em nossos arquivos da memória.

Aquilo que ficou no ar e não foi resolvido fica pra sempre indo e vindo feito um pesadelo ou um alarme gritando: “você precisa resolver isso!

Você precisa saber qual a verdade! ” Mesmo que essa verdade, você me diga que nem te interessa mais. Mas daí você continua lembrando. Não esquece. Tem certeza que não interessa?

Mesmo que aquele momento não volte (porque não volta mesmo), mesmo que não exista uma incrível máquina do tempo que te leve de volta e te permita corrigir e terminar o que começou, você tem mesmo certeza que aquilo lá não te interessa? Que se pudesse ler e compreender as mensagens subliminares existentes em cada olhar ou tom de voz, será que você não faria diferente? Será que não encerraria aquele assunto ao invés de tê-lo te angustiando por anos?

Pois cá estou, refletindo ao ouvir uma amiga dizer: “já resolvi quase todos os meus assuntos inacabados” e me pus a pensar: “E agora? E quanto a mim que tenho tantos e não resolvi nenhum?”. O conselho que nos dão é que sempre podemos resolver algumas coisas, nem todas, mas algumas.

Claro que não poderei dizer a uma pessoa que já se foi que eu sempre a amei mesmo não dizendo vez alguma enquanto ela estava viva. Claro que eu não poderia retomar algo que se perdeu no tempo pensando que isso é a solução de todos os meus problemas. Claro que não.

Posso, talvez, fazer diferente hoje para que no amanhã eu não viva com esse fardo em minhas costas. Que eu possa dizer hoje o tanto que eu te amo, que não sei viver sem você ou te pedir aquela chance que meu orgulho não me deixou pedir.

Talvez hoje eu possa mudar tudo, talvez eu posso reconsiderar aquela ofensa e pensar que tudo que o outro queria era me ensinar ou me poupar de algo mais pra frente. Talvez hoje eu não deixasse de correr atrás dos meus sonhos, do meu amor, de minhas conquistas. Talvez eu pudesse acreditar mais em mim para que no futuro eu possa ser alguém bem mais leve de alma e com o coração em luz.

Faça diferente dessa vez e não carregue nunca marcas de assuntos que podem te assombrar uma vida inteira por não terem sido resolvidos.

CRIS SOUZA FONTÊS

Ansiedade!


Sabes o que é viver de ansiedade? É esperar que a porta se abra e traga o abraço que afaga a saudade.

Sabes o que é viver de ansiedade? É esperar um tempo que não chega, no palpitar da vida em horas mortas.

Sabes o que é viver de ansiedade? É esperar que os meus e os teus lábios se encontrem.

Sabes o que é viver de ansiedade? É pegar na chave e ir ao teu encontro...

Abres a porta?