15 dezembro 2018

Escrever...

Sei que preciso de escrever quando não consigo parar de pensar.
Parar de pensar é algo muito complicado.
É algo que não dá.
Pensar é intrinseco ao ser. Ao existir. Ao respirar.
Se podia pensar menos? Podia.
O problema é conseguir. E quanto mais penso que não devia pensar, mais penso.
Acontece-me sempre o mesmo.
Tenho um problema, ou algo que me incomoda, ou não sei resolver, e não consigo parar de pensar. 
E quanto mais penso menos "vejo" a solução.




Não é fácil ser eu...

9 comentários:

Janita disse...

Quem muito pensa pouco acerta, minha cara amiga!

Faz como eu, escreva ou não,
nunca penso, antecipadamente,
naquilo que vou publicar,
conforme a onda vem e me bate na tola
agarro-a e aí vou eu a navegar, navegar...

Festas Felizes com saúde e alegria!:)

Seminovo disse...

Sofres por antecipação? És cá das minhas. É "engraçado" como quem está de fora, tem sempre a ideia genial de dizer para não pensarmos. A minha falecida sogra estava sempre a dizer-me "Zéi" (quer dizer Zé, em alentejano eheh), tem de controlar os nervos. Não percebia que são os nervos que nos controlam e não nós que controlamos os nervos. E quanto mais tentamos não pensar, mais pensamos que não conseguimos deixar de pensar. É tipo "pescadinha de rabo na boca". xD

João P. disse...

Eu cá penso conforme o que vem, se não vem nada penso que está calmo e não estou habituado, se vem uma catástrofe, estrebucho mas resolve-se o assunto... E penso "porque raio é que isto só acontece ao je?"

Sempre podemos pensar que não adianta pensar em problemas que pensamos que não têm a resolução que pensaríamos que poderia ser... Depois... É a famosa questão ... Mas porque é que não pensei nisto!!! 😎

Perséfone disse...

Há dias assim, mas nem sempre o pensamento nos dá tréguas.
Boas festas, Only Mafy

Victor Barão disse...

Curiosamente não me incomoda pensar, desde que precisamente possa/consiga escrever. De resto, de entre cerca de duas a duas prévias décadas e meia consecutivas, eu praticamente não conseguia dormia mais que, no máximo, três a quatro horas consecutivas ou em absoluto por dia, porque de dia trabalhava para sobreviver e à noite escrevia para necessitar sobreviver, desde logo sobreviver a tudo o que me dava, dá, que pensar! Mas apesar dos motivos para pensar continuarem absolutamente intactos, em alguns casos até em ascendência, no entanto por diversos motivos próprios e envolventes que, até talvez por precisamente andar a pensar menos, em parte sequer consigo explicar, o facto é que de há cerca de dois anos a esta parte, a minha disponibilidade para pensar e respectiva necessidade de escrever têm mesmo vindo a amenizar-se em mim _ mas, como se costuma dizer: cada caso é um caso!
Quanto ao aqui: "hoje é outro dia", para além desta mais recente partilha, após uma brevíssima incursão pelo mesmo, está-me a resultar um verdadeiro achado, que como tal vou passar a seguir!
Parabéns, obrigado!
VB

Victor Barão disse...

Vendo que não há por aqui algo novo, desde a última vez que aqui estive, aproveito no entanto para agradecer a visita e respectiva adesão ao meu "receber e dar". A partir de que ao que já havia escrito no meu anterior comentário a esta sua publicação: "Escrever...", aproveito ainda para de momento acrescentar que: Quem me dera conseguir dizer tanto "pensar", em tão poucas substantivas palavras quanto aqui o faz a/o estimada/o Only-mafy!...

Ah! E já agora ressalve-se alguns meus erros ortográficos ou faltas linguísticas no meu anterior comentário, como por exemplo quando a determinado momento devia ter escrito... "não conseguia dormir...", em alternativa a como erroneamente escrevi "...não conseguia dormia...", entre outras subsequentes falhas linguísticas da minha pare, num só comentário!...

Seguramente visitarei o seu Instagram, como sugerido, ainda que eu não tenha presença própria neste último. VB

Anónimo disse...

No meu caso eu ESCREVO.
Quando fico só pensando, não consigo parar de pensar porque parece que meu pensamento fica cíclico, como eu eu não conseguisse saiu de um labirinto. Quando escrevo (o converso com alguém), parece-me mais fácil encontrar a saida.

disse...

Diz o poeta que "não há machado que corte a raiz ao pensamento". Mas às vezes era bom que cortasse. Não de todo. Só quando pensar começa a fazer doer. A Ferreira Leite queria interromper a democracia temporariamente. Eu interrompia o pensamento até a crise passar...

Gaja Maria disse...

Também sofro sempre por antecipação embora tente não fazê-lo.
E como falar sem pensar não dá bom resultado, arrisco a dizer que o melhor é escrever, pensar um pouco e depois rever. Ajuda a ver as coisas de outra forma :)
Bejs